Tanto os profissionais da área da saúde, como a experiência do sofrimento dos pacientes que foram contaminados pelo vírus do covid, falam em uma só voz: “este vírus é do mal”.

Bem no início da pandemia, um casal amigos de nossa família testemunhou sobre a decisão diante do desafio por eles enfrentado, por ser enfermeiro de um dos hospitais de Blumenau, onde foi escalado para trabalhar no pavilhão dos internados pelo covid. Este casal tem quatro filhos pequenos e a esposa faz parte do grupo de risco. Em um ato de fé, se abandonaram nos braços de Nossa Senhora. O esposo começou a levar consigo o sacramental da medalha milagrosa. Nos exaustivos turnos de trabalho na enfermagem, durante todo este tempo ele não foi contaminado, diferente de seus colegas que positivaram.

Em 24 de junho de 1981, Nossa Senhora começou as suas aparições em Medjugorje, desde o início ela faz questão de falar sobre o valor dos sacramentos e também dos sacramentais. Sobre os sacramentais, ela recordou a força e o poder de proteção da água benta e também para usarmos objetos abençoados sobre o nosso corpo1.

A força protetora dos sacramentais está em usá-las em estado de graça. Várias famílias católicas aqui da região do norte de Santa Catarina estão testemunhando a graça extraordinária da proteção Divina neste tempo de epidemia através do uso diário dos sacramentais, como o escapulário, a medalha milagrosa, o crucifixo, o terço. Estamos contemplando com gratidão a atualização do milagre acontecido no tempo de São João Bosco, quando também a peste assolava Turim e São João Bosco, com mais de 100 meninos do oratório, foram protegidos. São João Bosco exortou os meninos a se confessarem e a viver em estado de graça, e também levarem com eles uma medalha de Nossa Senhora abençoada. Durante todo o tempo da peste, nenhum dos meninos do oratório de São João Bosco foram contaminados.

Também este revestimento do corpo com os sacramentais e a disposição de viver em estado de graça prepara a nossa alma que permanece em vigilância, para quando o Senhor nos vier a chamar.

Te rendemos graças ó Pai, pelo especialíssimo dom de sermos católicos batizados, e podermos contar com o auxílio dos sacramentos e dos sacramentais, para atravessarmos com segurança o mar agitado dos tempos de hoje.

Cleonice Macedo Kamer

(1) A Armadura Espiritual da Família. Dom Cipriano Chagas, OSB. Edições Louva Deus, 86-87.