Não existe reencarnação, não existe autojustificação diante de Deus, ou acolhemos a Jesus Cristo, que nos justifica diante do Pai ou não seremos justificados. A Igreja ensina que a reencarnação não existe, a reencarnação nunca foi uma doutrina católica, a Carta ao Hebreus (9,27) é clara e nos instrui acerca desse assunto: “está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o juízo”. O católico não pode acreditar naquilo que a Igreja não acolhe como dogma de fé. A crença na reencarnação se opõe à forma como Cristo oferece a salvação e é contra a natureza da pessoa humana. A pessoa humana é um ser único, que vive uma vida só sobre a qual é totalmente responsável: este modo de entender a pessoa coloca em questão tanto a responsabilidade quanto a liberdade pessoal.

Jesus é uma pessoa, é um Deus humanado e deseja ser bem acolhido por cada um de nós em nosso coração. Qual é a maneira de acolher Jesus? Jesus não está tão preocupado com os nossos limites, com as nossas fraquezas, isto Ele demonstrou muito bem na figura de Pedro e de Paulo, o que Ele quer saber é a mesma pergunta que Ele fez para Pedro: “Tu me amas?”.

Onde está o teu tesouro aí está o teu coração. E se o nosso coração estiver grudado em Jesus vai estar com Jesus e se estiver grudado em qualquer outra situação, qualquer outra realidade, não subirá ao Céu, queiramos entrar no coração Sagrado de Jesus, no Seu coração de misericórdia.