Nós sofreremos a invasão do Mal em nossas casas, em nossas realidades familiares, essa invasão que quer nos roubar aquilo que temos de mais precioso: a nossa fé, a autêntica vivência cristã. O demônio nos persegue para desistirmos do bem, do belo, para desistirmos da Verdade.

Mas o Bem de Deus é sempre maior, a invasão do Mal toca a nossa vida, a nossa família, a nossa vocação. Muitas vezes vem à tona, na nossa memória a invasão de todos os momentos, de todos os tempos da nossa vida, e nos faz perguntar a Deus o por quê desses acontecimentos. E Deus oportuniza tudo isso para mais uma vez entrar em nossas profundezas e questionar-nos sobre a nossa fé, se verdadeiramente cremos.

Somos tentados a pensar porque será que ainda cremos em Deus, e o demônio se aproveita disso para nos convencer de que não poderemos suportar. Quando está acontecendo afrontas, principalmente dos nossos mais amados, essa palavra vem a nós: “você não vai suportar”. E diante das nossas rebeldias, diante dos momentos em que desabafamos o mal que está dentro de nós, precisamos dizer: “Pai, me perdoa, porque eu não sei o que faço”.

Precisamos nos abrir e confessar com toda a Igreja: “o mal também me habita e me engole, mas eu não o quero”. E reafirmar a fé, anunciar e denunciar com o testemunho de que Deus é maior do que qualquer afronta e Ele nos sustentará como a rocha, Ele esclarece para mim nos tempos, através do Magistério, me consola e me dá luzes novas. É o bem que Deus restitui àquele que crer, o bem que é o melhor vai ser restituído.