Existe um privilégio concedido para as mulheres que são católicas que é o referencial seguro de feminilidade, revelado através de Nossa Senhora.

O estilo de vida proposto por Nossa Senhora através das escolhas que ela fez durante a sua vida na terra, está atraindo muitas moças jovens e também senhoras. Estas mulheres, após tomarem conhecimento, principalmente através do Tratado de Nossa Senhora escrito por São Luis Grignion de Montfort, iniciam um processo de um novo olhar, uma nova descoberta sobre Nossa Senhora e sobre si mesma. Através da experiência com Maria, a mulher católica descobre em si a autêntica beleza feminina.

Em uma das aparições de Nossa Senhora Rainha da Paz, foi perguntado como ela conseguia ser tão bela. Ela respondeu que é bela, pois muito ama, e disse também que quando nós passarmos a amar, também refletiremos beleza.

A descoberta de Nossa Senhora feita pelas jovens de hoje está ajudando-as a se desvencilharem das garras do feminismo. Passam a refletir no corpo e através da forma como se expressam, um comportamento mais ordenado e equilibrado, se vestem de maneira mais feminina e modesta, mas de uma modéstia sadia, que é bem diferente daquele movimento de modéstia que contesta e rejeita os ensinamentos da Igreja através do Concílio Vaticano II, tal movimento falta com a caridade.

As mulheres casadas, tem em Nossa Senhora o socorro certo, o modelo perfeito de maternidade. Quando uma mãe católica, ao ordenar a maternidade através do exemplo de entrega de Maria, ela percebe que a entrega de si mesma para os filhos traz a paz de coração.

São João Crisóstomo ensinava: as mães que não se ocupam bastante de seus filhos, embora sejam piedosas, mas, devido a falta de cuidado com os filhos, por esta única falta, se sujeitam a condenação.

A maternidade de Maria, quando nós mulheres permitimos, lapida a nossa maternidade, abrindo os nossos olhos para o que realmente é o mais importante para uma mãe, que é estar presente com os filhos e se ocupar deles.

Cleonice Macedo Kamer